segunda-feira, 28 de março de 2011

TRANSFERIDOR DE GÁS




Hoje vou ser curto, pois grosso sou o tempo todo...afinal estou pesando 120 kilos, então, com aquele corpinho de bailarino espanhol( decaído é claro), vamos ao que interessa:
Não cobra nada para dar assessoria na pesca da tilápia, estou pensando em mudar o costume, mais até lá, lá vai mais uma dica:
Como não smos só nós “os tilapeiros de carteirinhas” que pescamos a noite, os refletores que usamos tem outras finalidades, certo?
Hoje pelo que soube, está proibida a venda de bujão de gás os conhecidos “liquinhos” que contem 2kg mesmo.
O fato que independente desta proibição, sempre se encontrará algum distribuidor que possa fazer a recarga do mesmo, até por baixo do pano, se é que vocês me entendem?
O problema como sempre é que dentro das atuais circunstâncias, os caras estão cobrando uma nota preta, alguns chegam á cobrar R$ 15,00 pela recarga (* jeitinho brasileiro*), então, a solução que venho adotando á “longos carnavais” é ter comprado o meu próprio transferidor de gás.
É possível encontrá-los nas lojas de pesca, mais com certeza, naquelas que vendem acessórios para fogões ou ferragens em geral, pelo menos aqui no meu bairro, isto é facílimo.
A vantagem é a economia, pois considerando que no momento um bujão de 13 kilos custa em média R$35,00, podemos fazer até seis recargas completas e considerando o que o tempo de uso dos refletores se resumem á algumas horas, a durabilidade de um bujão liquinho é longa.
A aquisição do transferidor apesar do custo, trás a vantagem do benefício, enetretanto como lidar com gás é uma atividade perigosa, então alguns cuidados básicos são indispensáveis a saber:
1) – Sempre procurar um local arejado fora da residência;
2) - Antes de fazer a recarga, esgotar o excesso de ar contido no liquinho, existe o botão para isso (cor vermelha) que será aberto e fechado depois desta operação;
IMPORTANTE: Esgotar todo ar é necessário, pois o gás contem impurezas, que poderam interferir na luminosidade do refletor e até entupir seu giclê.
3) - Ao encaixar a válvula do transferidor no bujão normal, certificar-se não haver vazamentos;
4) – Encaixar o registro do transferidor no liquinho, também verificando o mesmo acima;
5)- Ao abrir o botão preto que transfere o gás do bujão grande para o liquinho, dá para notar pela mangueira, que o gás/ ar do maior está entrando no menor, até cessar tal visualização. O indicativo que liquinho está cheio é que ele fica mais pesado, entretanto, se necessário, ao sacudi-lo, o gás/ar do maior continuará sendo transferido, até cessar de vez.
6)- Nem sempre vale a pena encher o liquinho ao máximo, pois o excesso de ar poderá entupir o “giclê” ( peça que regula a luminosidade do refletor).
7)-Terminada a operação, fechar o botão preto, assim o gás que estiver na mangueira, retornará ao bujão maior, se bem, que ao desencaixar a válvula, haverá algum vazamento daquele que não retornou.
E agora pessoal é só colocar em prática as dicas, entretanto, se alguma alma caridosa quiser, deposite uma grana na minha conta da caixa.
Em tempo: Há na internet uma foto do transferidor pronto e caso não seja encontrado, dá para ter uma noção de montá-lo baseado na mesma.

2 comentários:

  1. tou precisando de uma mangueira dessas.. onde acho? ja revirei a net e nada..obrigado

    ResponderExcluir
  2. Encontrei na net em vários lugares......desde R$19,00 até R$85,00 o mesmo transferidor.

    ResponderExcluir