quarta-feira, 1 de junho de 2016

Inventando coisas para pescar- parte 3

Pois é pessoal, voces lembram daquela música....
Chove chuva, chove sem parar...
Não é novidade nenhuma para nós aqui de Curitiba e RM e possivelmente nos demais estados do sul, pois ela,  não tem falhado um só dia sequer, quando não é pela manhã e a tarde ou a noite e até por que não, o dia inteiro.
Pescar? Fica só na vontade e na saudade, certo?
E para passar o tempo, coisa de aposentado, fico algumas horas na Internet pesquisando "novidades" para pescar.
Creio que aqueles que tem tempo assim como eu, deve fazer o mesmo, entretanto, infelizmente, muita coisa que vejo, como já disse, pode ser melhorada ou modificada.
Um exêmplo:
Assisti um vídeo que fala da tal "boia luminosa" que contem um local para se colocar uma pilha e uma luz led.
Nada contra, porém, quem sabe se resolve o problema com uma boia que possa ser fixado uma luz química o "tal star lite"?
Então, voltando à dica anterior das ponteiras inteligente, tanto para varas telescópicas de mão, bem como, outras para molinete ou carretilha.
Segundo narrei, estive usando canudos de palito de pirulito para confeccioná-las, o maior de 15cm e o menor de 10cm, pintando o maior  na extremidade que ficará próximo a água, nas cores vermelha e amarela, deixando o restante na cor branca, para melhor visualização noturna.
É claro que para enxerga-la a noite é preciso ter um refletor a gás, cuja luminosidade pode ser regulada e tem a durabilidade de uma noite inteira, mesmo porque, se formos usar uma lanterna a pilha ou de led, quem sabe não tenha tal duração.
Assim sendo, fiquei "matutando", como substituir estes acessórios.
Eureca! Muito simples, usar o famoso star lite( luz química).
Para tanto é preciso ter o "tal espaguete termo retrátil", de 10mm e fazer o seguinte:
a) Pegar o tubinho plástico que acompanha o star lite e fixá-lo na parte externa e branca do tubinho maior do palito de pirulito, aquecendo o espaguete com um isqueiro. Depois é só colocar no interior do plástico o próprio star lite.
b) Nova ponteira inteligente com o tubo plástico de 15 cm: Repeteco Melhorado
1)-Cortar um pedaço de até 6cm de linha de nylon de máquina de cortar grama, nas bitola entre 1,8 a 2mm;
2) Colar com cola instantânea 2 a 3 cm  do fio de nylon no interior do tubinho de pirulito
e esperar secar;
3) Aquecer o restante do fio de nylon dobrando-o para formar um ângulo de 45 graus e fixá-lo na ponteira da vara usando a mesma cola e um pedacinho de espaguete na espessura necessária para tal.
4) Para amarrar a linha de pesca, basta aquecer a extremidade do tubinho de pirulito, apertando com um alicate formando uma saliência no mesmo.
5) E para a pesca noturna, usar o mesmo sistema já mencionado acima.
Evidentemente que em ambas situações não há necessidade de retirar o tubinho plástico do star lite.
E você, descobriu uma maneira melhor de fazer tudo isto?
Por enquanto é isso aí.

domingo, 29 de maio de 2016

Inventando coisas para pescar. Segunda parte.

Na matéria anterior falei de como confeccionar anteninhas inteligentes, também conhecidas como "ponteira inteligente".
Tenho por hábito afirmar que quem não cria...copia..... e tem sido esta minha opção, especialmente quando posso modificar algo que foi inventado por outro pescador.
Assim sendo, vou falar das modificações que usei nas minhas ponteiras inteligentes:
1) Não sei exatamente qual a quantidade de varetinhas de fibra de vidro de uns 15 centímetros que tinha guardado e foram estas que usei para confeccionar tais ponteiras.
Para tanto, colei numa extremidade da mesma aqueles cordeis de ponteira de varas telescópicas. Más dá para usar os cordeis existentes na própria ponteira da vara, bastando para isso afinar as varetinhas de fibra.
Ora, quem sabe você possa alegar que não tem as tem?. Neste caso, minha dica é comprá-las nas lojas que vendem "pipas", pois são elas que usei e de preferência na cor branca.
2) Na outra extremidade, colei uma miçanga pequena, a qual serve para amarrar a linha.
Numa pequena distância desta primeira miçanga, colei outras médias, pelo menos "duas" á cada 15 centímetro uma da outra.  Entretanto, independente da primeira miçanga,  pode-se  colar mais um pedacinho do cordel  já citado, mantendo as outras duas miçangas.
3) Para "incrementar" as ponteiras, pintei-as com a tinta colorgim nas cores vermelha e amarela, uns 15 centímetros de cada cor, logo acima da segunda miçanga.
É possível que ela não funcione direito na existência de vento forte, se bem que a intenção é usá-la no período noturno, normalmente com águas calmas, por isso na cor branca, para melhor visualização na luz do refletor a gás.
PONTEIRA FEITA COM FIO DE NYLON ( Máquina de cortar grama)
Já explicado na matéria anterior, apenas com uma modificação:
" Depois de colar  o pedaço do fio na ponteira da vara  com a linha de multifilamento, você pode substituí-lo por um pedaço de uns 5 centímetros" de "baguete termo retratil" na bitola de 2 a 3 mm, encontrados em lojas de acessórios eletrônicos. Neste caso, quando for aquecer o baguete coma chama de um isqueiro, deixe 5 mm ou mais livre do mesmo na ponteira da vara, para que a linha de nylon possa ser dobrada formando um ângulo de 90 graus." A posição desta ponteira na pescaria,  deve ser lateral, tanto para direita ou esquerda" na ponteira da vara.
Se o fio de nylon for verde ou alaranjado, penso que só irá funcionar durante o dia, portanto, para que funcione a noite, você deve pintá-los de branco.
PONTEIRA INTELIGENTE PARA VARAAS DE MOLINETE OU CARRETILHA.
Ví nas lojas de pesca, aquelas fabricadas com tubinhos de canudinhos de pirulito os quais medem em torno de 10 centímetros e creio que funcionam, mas modifiquei, procurando usar os mesmos, porém com 15 ou 20 centímetros e confesso que não foi fácil achá-los.
Mais isto não vem ao caso, foi com eles que  fiz minha ponteiras, à saber:
1) Cortei os tubinhos pela metade, colando-os com cola instantânea a um pedaço de 5 centímetros num cordel branco de 5 ou 6 mm, comprado em lojas de ferragens.
OBS: Este cordel possui em seu interior fios soltos que ao serem puchados formam um buraquinho na espessura acima. Assim, para colar o tubinho, basta usar um pedaço de ponteira de vara, que ajuda na colagem, ou seja:
Quando uma pontinha da ponteira fica fora do buraquinho do cordel, facilita a introdução do buraco do tubinho no mesmo, evitando que algum fio solto do cordel  tape o buraco do tubinho, onde depois passará a linha de pesca. Depois e só colar o tubinho, apertando com o dedo para que ele se fixe.
Caso haja dificuldade na fixação do mesmo, aqueça o cordel e o tubinho com a chama de um isqueiro, bem como, para firmá-lo de fato, use um pedaço de baquete termo retratil na espessura do cordel, aquecendo-o conforme recomendado.
2) o mesmo processo deve ser repetido no tubo maior.
Para incrementar, usei as mesmas tintas colorgim vermelha e amarela, pintando o tubinho uns 15 centímetros na extremidade que ficará próximo à água.
3) Como instalar esta ponteira nas varas:
a) Passe a linha de pesca por todos os passadores, exceto o da ponteira:
b) Coloque dois pedacinhos de borracha de " garrote de tirar sangue de veia" na espessura de 5mm, passando-os pela ponteira da vara,  depois passe a linha no interior dos mesmos.
c) Passe a linha na ponteira da vara e a seguir no  interior dos tubinhos e a parte menor deve passar pela ponteira e introduzida nas borrachinhas.
d) Desta forma, o restante da linha contida no molinete ou carretilha passará facilmente, onde então será montado o que for preciso para pescar.
e) Repeteco: A cor branca é para melhorar a visão  na pescaria noturna, porém, não tenho certeza que funciona com ventania????
Para ter uma idéia, o custo unitário de cada tipo de ponteiro nem chegará à R$ 1,00.
Mãos à obra

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Inventando coisas para pescar.

, , Ao acordar no domingo retrasado, senti uma fisgada nas costas, região dos rins e não deu outra, passei a semana toda sofrendo com dores, buscando medicamentos e chás para melhorar, mais isto não tem a menor importância, exceto que por tal problema, fiquei impedido de ir pescar.
Bem,  para esquecer a dor e passar o tempo, a internet ajuda bastante, então, descobri vídeos que ensinam como preparar "anteninhas inteligente" para varas telescópica de mão.
Estas tem por finalidade, dispensar o uso de boinhas ou penas e de fato, não são difíceis nem complicado confeccioná-las, basta ter os seguintes materiais:
1) Cordel para ponteira de vara encontrados nas lojas de pesca, onde aliás, também encontramos linhas de aço revestidas de nylon, cuja libragem indicada é a de 40 libras;
2) Cortar o cordel em aproximadamente 15 centímetros e introduzir a linha de aço em seu interior com o mesmo tamanho e fixá-los na ponteira da vara, usando para tal, uma linha de multifilamento e para garantir a fixação, usar a cola superbond ou similar.
3) Em seguida, para embelezar o trabalho, colocar antes de fixar o cordel,  um pedaço de uns 3 a 5 cm de espaguete termo retratil, o qual substituí a fita isolante e se comprime quando aquecido. Ele é normalmente encontrado em lojas que vendem produtos de eletricidade ou até em oficinas que cuidam da parte elétrica de carros.
Como afirmei anteriormente, meu objetivo principal era de "passar o tempo", entretanto, descobri que as tais "anteninhas" existem prontas em algumas lojas de pesca, a um custo bem menor e para fixá-las, usar um pedacinho do cordel, fixando a anteninha no mesmo, bem como, na ponteira da vara.
Descobri também, que se pode confeccionar as tais anteninhas, usando a linha de nylon de máquinas de cortar grama, na espessura de 1,6mm nas cores verde ou amarelo alaranjado e fixá-la na ponteira da vara conforma expliquei acima e para turbiná-la, pode-se introduzir até três miçanga brancas naquela linha, sendo que a primeira deve ficar de 5 a 10mm da ponta da mesma e duas outras, 1,5 cm de distância, coladas com a cola instantânea. E para amarrar a linha de pesca, dá para aquecer a ponta da linha da máquina, formando um pequeno caroço ou saliência na mesma.
Más para que servem as miçangas:
 Ajuda a visualizar o ataque do peixe na isca, pois, a primeira delas afunda, bem como, por serem brancas, ajudam enxergá-las melhor na pesca noturna.
Dizem que este acessória funciona, para confirmar é só testar.

domingo, 15 de maio de 2016

Linhas de pesca.

Antes de mais nada, vou afirmar:
Quem não cria....copia.
É o que você deve fazer se estiver interessado. Quer moleza? Vá dar rasteira em sapo...Más irá encontrar tal informação no  site www.pescamadora.com.br, onde a libragem de 3 libras é indicada para peixes de até 1,5 quilos e a linha sugerida é a de 0,14mm e seguindo adiante, na libragem 16, a linha é a 0,33mm, para peixes de até 8 quilos.
Más a questão que permanece é a seguinte:
 Será que usar as linhas indicadas na tabela, realmente resolvem nas pescarias de nossas tilápias, lembrando que aquelas de maior porte que encontramos nas represas e lagos, são entre 500 gramas até 2 quilos?
Então, vamos levar em consideração alguns fatores:
a) Se a linha 0,14mm é indicada para tilápias de até 1,5 quilos, com certeza um peixe neste peso deve provavelmente medir pelo menos uns 30 cm, certo?
b) Ora, peixe bem menores no peso, tem serrilhas em sua boca, portanto, aos ser fisgado  e se engoliu o anzol, certamente partirá linhas até mais grossas, concorda?
c) Mesmo que se use a linha 0,14mm indicadas é preciso ver o tipo de equipamento a ser usado, ou seja:
1) Carretilhas ou molinetes, pode dar certo devido a quantidade de linha nos carreteis.
2) O mesmo pode não acontecer nas varas telescópicas de mão, concorda?
Aliás, nas varas telescópicas de mão, a linha acima indicada ou de outra libragem, só dará certo se o peixe for fisgado pelo beiço , pois, a forma que elas trabalham costuma cansar o bicho, certo?
Embora existam estas duvidas, alguns vídeos no Youtube demonstram que as linhas mais finas são melhores adequadas na pesca da tilápia, mais ainda assim, continuamos dependendo de outros fatores na vara de mão, a saber:
a) Varas curtas, à supor de até 3 metros, são indicadas para pesqueiros com barrancos íngremes e as de maior comprimento para outro tipo de barranco.
Tá legal, mais se a água do pesqueiro estiver muito clara, será que uma varinha curta vai funcionar, levando-se em conta que a tilápia durante o dia pode estar enxergando o pescador?
Quem sabe neste caso o melhor seja uma mais longa?
b) E a ceva? Alguns afirmam que as tilápias costumam se alimentar no fundo do pesqueiro, certo?
Então, por analogia, num pesqueiro íngreme, qual a a verdadeira profundidade e mais, será que uma vara mais longa atingirá a mesma?
Ora, quem sabe para resolver o problema neste tipo de pesqueiro, seja melhor lançar a ceva próximo ao barranco?
Mais vamos à outros detalhes:
Já que estamos entrando em época de frio, alguns afirmam que é possível pescar este peixe nesta época, possivelmente usando massas.
Afirmam também, que as tilápias ficam mais "manhosas" mais continuam se alimentando até a temperatura da água ficar abaixo de 18 graus.
Você pode tentar uma dica que vi na internet:
Use um caroço de milho verde envolvido numa bolinha de massa e mais, sem usar chumbo, mesmo no molinete ou carretilha, ou seja, a massa pode servir como ceva complementar, alem daquela que você usou anteriormente.
Poderia continuar colocando outras dúvidas, más para estas e outras o melhor mesmo é experimentar, pois, é o que pretendo fazer e se der certo conto depois.
Abraços.

sábado, 14 de maio de 2016

Como será o clima de outono e inverno na região sul. Olá tilapeiros. Estive lendo algumas materias em outros sites afirmando ser possivel capturar tilápias no inverno, assim sendo, torço para que isso aconteça aqui em Curitiba e RM, más vamos ver o que dizem os meteriologista. A partir de agora, a tendência é de enfraquecimento do El Niño, mas até a atmosfera responder a este resfriamento do oceano Pacífico equatorial, “muitas águas vão rolar”. Para 2016, o clima sinaliza muitas variações. Cada estação do ano terá a influência de um fenômeno diferente, cujas consequências serão completamente diferente. Vamos ter de tudo, por influência do El Niño. ainda terá fortes consequências na atmosfera. Por outro lado, esta condição é boa em parte porque a presença dele diminui o risco de períodos chuvosos extremos e duradouros, a períodos com menores volumes de chuva e altas temperaturas, como aconteceu em abril passado. O outono 2016 com ondas de frio precoces e temperaturas mais baixas como vem ocorrendo agora neste mês de maio. O enfraquecimento do El Niño também pode favorecer a ocorrência de alguns episódios de chuvas causados pelo avanço das frentes frias provenientes do Sul do país, assim sendo, o inverno terá a cara típica da estação com mais frio para o Sul do Brasi, más por enquanto, ainda não há previsão de frio extremo e inverno rigoroso. Diante disso, cabe lembrar que o inverno já não é igual à aqueles de antigamente, portanto, como aconteceu em anos anteriores, pelo menos pelo relato de amigos, foi possível capturar boas tilápias no Capivari, especialmente no período noturno, embora estejam elas mais "manhosas". De acordo com a opinião de outro amigo tilapeiro, ele afirma que agora em maio, as tilápias ainda estão procurando comida, então, pode ser que tenhamos sucesso e é claro, faz-se necessário cevar tanto com milho verde, ração de coelho, farelo de trigo, quirera de milho, principalmente próximo aos barrancos, antes de escurecer. Agora o que é certo, que durante o dia as tilápias miúdas, carazinhos e lambaris, certamente vão detornar as iscas usadas, portanto, a pesca do lambarí pode se tornar um belo passa tempo neste periodo, para quem tiver coragem de passar a noite pescando. Então, mãos à obra.

Olá tilapeiros.
Estive lendo algumas matérias em outros sites afirmando ser possível capturar tilápias no inverno, assim sendo, torço para que isso aconteça aqui em Curitiba e RM, más vamos ver  o que dizem os meteorologistas.
 A partir de agora, a tendência é de enfraquecimento do El Niño, mas até a atmosfera responder a este resfriamento do oceano Pacífico equatorial, “muitas águas vão rolar”.
Para 2016, o clima sinaliza muitas variações. Cada estação do ano terá a influência de um fenômeno diferente, cujas consequências serão completamente diferente. Vamos ter de tudo,  por influência do El Niño. ainda terá fortes consequências na atmosfera.
Por outro lado, esta condição é boa em parte porque a presença dele diminui o risco de períodos chuvosos extremos e duradouros, a períodos com menores volumes de chuva e altas temperaturas, como aconteceu em abril passado.
O outono 2016 com ondas de frio precoces e temperaturas mais baixas como vem ocorrendo agora neste mês de maio.
O enfraquecimento do El Niño também pode favorecer a ocorrência de alguns episódios de chuvas causados pelo avanço das frentes frias provenientes do Sul do país, assim sendo, o inverno terá a cara típica da estação com mais frio para o Sul do Brasil, más por enquanto, ainda não há previsão de frio extremo e inverno rigoroso.
Diante disso, cabe lembrar que o inverno já não é igual à aqueles de antigamente, portanto, como aconteceu em anos anteriores, pelo menos pelo relato de amigos, foi possível capturar boas tilápias no Capivari, especialmente no período noturno,  embora estejam elas mais "manhosas".
De acordo com a opinião de outro amigo tilapeiro, ele afirma que agora  em maio, as tilápias ainda estão procurando comida, então, pode ser que tenhamos sucesso e é claro, faz-se necessário cevar tanto com milho verde, ração de coelho, farelo de trigo, quirera de milho, principalmente próximo aos barrancos, antes de escurecer.
Agora o que é certo, que durante o dia as tilápias miúdas, carazinhos e lambaris, certamente vão detonar as iscas usadas, portanto, a pesca do lambari pode se tornar um belo passa tempo,  para quem tiver coragem de passar a noite pescando.
Então, mãos à obra.

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Respondendo às dúvidas

Ola pessoal que gosta de pescar tilápias.
Não é fácil dar uma informação que dê o melhor resultado que muitos esperam, mesmo porque, até eu, que me considero experiente, acabo caindo do cavalo em inúmeras vezes.
Um colega pediu a dica de como proceder quando as tilápias roubam o milho de forma imperceptível.
 Ora, grosso modo, parece que isto acontece quando há excesso de exemplares pequenos, cujos cardumes superam em muito as tilápias de maior porte. Mais se realmente se tratar das maiores, isto pode acontecer, pois as mesmas são de fato matreiras, então, minha sugestão é: Na dúvida dê a fisgada.
Outro colega me perguntou sobre o tamanho das varas quando se pesca no Capiva ou outra represa.
Minha sugestão é que você leia um artigo em que falo especialmente sobre este assunto no blog.
Só para dar ideia, tenho um amigo que pesca tilápias a 40 anos e alega que ainda não aprendeu tudo nesta pesca.
Recentemente encontrei um tilapeiro no Voçoroca que as pesca da seguinte forma:
a) Vara curta, no máximo 3 metros;
b) linha de 12 e no máximo 18mm;
c) Boia hiper pequena, regulada a +ou- 1,20 de profundidade, a qual é puxada à uns 30 cm do barranco;
d) O anzol um pouco maior que o de lambari, onde ele fisga o milho verde;
E deu resultado, sacou?
Creio que não só eu, mais muitos de vocês, sempre estão pesquisando sobre a pesca da tilápia na Internet, daí vou experimentar a pesca da mesma sem a boinha, usando a tal da ponteira inteligente, que aliás, tem um vídeo que ensina como fabricá-la.
É preciso reconhecer que daqui em diante ficará cada dia mais difícil pescar este peixe devido ao inverno, más não custa tentar e de uma coisa tenham a certeza:
O que funcionar, certamente vou repassar à vocês.
Abraços.






quinta-feira, 12 de maio de 2016

A responsabilidade em ensinar.

Se existe uma coisa que possivelmente irrita muita gente, são pessoas que se propoe à ensinar alguma coisa nova, dar alguma dica de pesqueiro, especialmente relacionado à isca utilizada, tamanho da vara, do anzol etc,  entretanto, o fazem de forma incompleta.
Este é um dos assuntos que vou comentar agora:
1) No Youtube, existe um vídeo de um pescador que fala de uma massa para pesca da tilápia  feita com milho verde. Ora, ele mostra uma espiga ideal para a mesma e alem disso,  esta deve ser triturada no liquidificador  e uma mistura de farinha de milho também  moída no mesmo e acrescentar a mesma quantidade de farinha mandioca e aconselha ( se preciso) acrescentar uma quantidade de farinha de trigo para dar "liga"  a mesma.
De fato, tudo muito simples e prático, porém, o que ele não informar ( E AÍ ESTÁ O PROBLEMA) são as quantidades de cada um dos ingredientes.
Se vocês quiserem preparar a mesma, assim como eu, tem que contar com a sorte, para acertar o ponto ideal da mesma e se conseguir, me passe as orientações corretamente.
2) Por outro lado, nesta temporada que está acabando, tenho ido "tentar" pescar algumas tilápias, más as que tenho capturado são as de pequeno porte, tanto lá no Capivari, bem como no Voçoroca, no pesqueiro do Rubinho, logo após a segunda ponte, tem a entrada do mesmo.
Aliás, ontem fui no Capiva, Recanto  do Sabiá e ao chegar havia um pescador limpando inúmeras tilápias de bom porte que tinha pego na noite anterior e foi de dar inveja do sucesso do mesmo. Ele até me mostrou o pesqueiro que havia ocupado e a isca que usou, ou seja, milho verde, utilizando-se da ceva do mesmo picado e farelo de trigo, mas a pergunta que fica?
Será mesmo que é verdade?
A única maneira de confirmar é ir testar as dicas, coisa que estou pensando em fazer amanhã se o tempo ajudar.
Espero que de certo, se bem que em outras ocasiões, a gente ocupa um mesmo pesqueiro, usa a mesma isca, ceva, vara, linha, anzol, etc e "cai do cavalo", certo?
Mas isto é que torna nossas pescarias interessante, concorda.
Então amigos, esta é a estória de hoje.
Abraços.