domingo, 13 de junho de 2010

PESCA DA TILAPIA COM CAPIM E ERVA DOCE


Posso garantir por experiência de mais de 15 anos, pescando tilápias em represas, que estas, são as únicas iscas que elas as carregam para o fundo na pescaria, durante o dia ou a noite, assim sendo, vou dar dicas como preparar o material, na pesca diurna:
1) Antes de tudo, é preciso que o pescador escolha um local longe dos demais, pois é necessário espaço e silêncio;
Espaço, porque nela utilizamos varas mais longas, no máximo, três unidades, com comprimento superior a 4,00 metros;
Silêncio, pelo já citado anteriormente e para não denunciarmos nossa presença, que se consegue se levarmos em conta o comprimento da linha, somado ao da vara, atendemos esta necessidade.
2) O preparo da linha será da seguinte forma:
a)O comprimento da mesma, pode ser no tamanho da vara;
b)Nela será colocada uma bóia de isopor de 2 a 3 cm;
c) Mais um chumbinho leve, que vai parar num minúsculo girador, amarrado na linha mestre e na outra extremidade do mesmo, amarra-se outro pedaço de linha de até 50cm (pernada), onde na metade da mesma, faz-se um anel de uns 10cm, que depois de cortado, amarra-se um anzol e no final da pernada outro.
3) DICA DA PESCA:
a) Regula-se a profundidade da bóia até 1,00 metro;
b) Lança-se a linha na água, numa distância de até 2,00 metros da margem, a favor do vento e este se encarrega, de levar a bóia e os anzóis iscados para próximo do barranco;
c) Lá as tilápias miúdas atacam a isca, levando-as para o fundo, onde se encontram as maiores, que por sua vez, engolem as mesmas, fazendo a bóia desaparecer na água, então, é a hora da fisgada.
4) TIPOS DE CAPIM E COMO ISCÁ-LOS NOS ANZOIS:
a) PICUIO; Ele dá numa touceira com vários ramos e em cada um deles, várias folhas, das quais se utiliza somente as duas últimas, as mais tenras, cortadas num tamanho de até 10 cm e o anzol é preso no caule das mesmas;
b) PAPUÃ: Ele também dá numa touceira, só que com várias folhas, que são utilizadas de duas formas:
1ª) Corta-se a ponteira da mesma em uns 10cm, faz-se um nó, onde prende-se o anzol;
2ª) Divide-se a mesma no meio e procede-se da maneira acima.
c) ERVA DOCE: Usa-se somente a ponteira de cada ramo, prendendo o anzol no meio da mesma.
OBS: as sobras de capins e erva doce, podem ser picados e lançados na água como ceva.
Simples, concordam?
Entretanto, o pescador deve ter muita paciência e persistência, pois as tilápias menores detonam muitas iscas.
Estas iscas podem ser usadas na pesca noturna, com algumas mudanças, que falarei num próximo artigo.

2 comentários:

  1. acho que me lembro de vc e sua senhora. Suas dicas são bastante precisas e sua paixão e muito presente deichando muito claro o quanto gosta da pescoterapia. Um abraço

    ResponderExcluir